Blog | Expertise

Investimento

Investimento sem risco – não caia nessa história

Escrito por

Francisco Perez


Matemático e Engenheiro Eletricista, com pós-graduação em Desenvolvimento de Negócios pela EAESP-FGV e Finanças Corporativas pela FDC. Possui mais de 20 anos de experiência em gestão de investimentos e desenvolvimento de novos negócios como diretor do Banco Alfa, Oi e Natura. Atua em diversos conselhos de administração de empresas startups. Atualmente é Head of Investment da Glebba Investimentos.


No dicionário, a palavra investimento é definida como a aplicação de recursos, tempo e esforço, a fim de se obter algo. No mercado financeiro não é diferente. Um bom investidor vai sempre dedicar um bom tempo e um constante esforço pessoal para analisar as ofertas disponíveis e escolher aquela que acredita ter a melhor relação risco e retorno.

Porém, muitas das ofertas que vemos por aí fogem dessa realidade, dizendo que garantem total segurança no seu investimento com um grande retorno esperado. A verdade, é que essa certeza não existe. Ter uma carteira de investimento muito rentável é possível, mas ela não existe sem risco.

Uma das melhores maneiras de descobrir a expectativa da rentabilidade de cada investimento é por meio das divulgações de materiais informativos, prospectos e legislações que os regulam. No mercado, essa expectativa é conhecida como retorno esperado.

Mesmo assim, não é simples prever quanto um investimento deve render, pois muitas vezes os objetivos projetados podem não ser alcançados. Somente com o passar do tempo ou no momento do resgate da aplicação é que o investidor descobre o verdadeiro retorno obtido.

 

Quais são os tipos de riscos?

Ao investir, sempre existirá algum grau de incerteza que se traduz em risco. Existem três tipos que devemos prestar mais atenção:

Risco de Mercado

Decorre das condições da economia, que podem influenciar seu investimento devido às variações de juros, câmbio, preço de ações, etc. O lucro ou a capacidade de pagamento do emissor do título também podem variar por conta das condições da economia e prejudicar seu investimento.

Risco de Crédito

É o risco de que o tomador dos recursos, que você emprestou seu dinheiro ou aplicou em um determinado empreendimento, não cumpra suas obrigações ou que o investimento não renda o esperado.

Risco de Liquidez

Está diretamente relacionado com a facilidade de você resgatar ou transferir seu investimento. Se houver pouca liquidez, menos pessoas terão interesse em negociar com você e o valor do seu investimento pode diminuir.

 

Fique atento à relação risco e retorno

Como devemos analisar a relação entre o risco e o retorno esperado de um investimento? No mercado, podemos encontrar diversos títulos e valores mobiliários com os mais variáveis retornos esperados e com riscos também diferentes. Geralmente as ofertas que prometem um retorno esperado muito grande também possuem um risco maior. Assim, precisamos analisar o retorno e o risco sempre juntos e ter desconfiança de investimentos que prometem retornos milagrosos ou fora da realidade do mercado atual.

 

Diversificação é uma boa estratégia para mitigar riscos

Na hora de investir, tenha sempre em mente: você precisará gerenciar riscos — inevitavelmente.

A recomendação mais comum para reduzir riscos é a diversificação de investimentos. Se você não obtiver êxito em uma aposta que fizer no mercado, terá ainda chances de se dar bem em outras e, na média, poderá conseguir bons retornos.

 

Assessoria e curadoria é um bom caminho para sua segurança

Outra recomendação importante é que você busque informações sobre o mercado financeiro, seus conceitos e comportamento. Solucione o máximo de dúvidas, avalie qual é o seu perfil de investidor e procure sempre plataformas que possuam assessores financeiros ou curadorias especializadas.

O diferencial da Glebba é possuir um rigoroso processo de curadoria dos empreendimentos imobiliários oferecidos.

É importante destacar que o mesmo inclui auditoria jurídica, mercadológica e econômica, além da análise da solidez financeira de todos os sócios que eventualmente podem figurar como avalistas da operação.

Os títulos oferecidos na plataforma, por se tratarem de títulos de dívida privada, não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Ao disponibilizar o material das ofertas na plataforma, fica mais fácil para você, investidor, entender os riscos e o trabalho que realizamos na análise e seleção dos empreendimentos.

A Glebba sabe que, quando o assunto é investimento, seu principal objetivo é o mesmo dos seus investidores, o sucesso dos empreendimentos oferecidos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



As sociedades empresárias de pequeno porte e as ofertas apresentadas nessa plataforma estão automaticamente dispensadas de registro pela Comissão de Valores Mobiliários - CVM. A CVM não analisa previamente as ofertas. As ofertas realizadas não implicam por parte da CVM a garantia da veracidade das informações prestadas, de adequação à legislação vigente ou julgamento sobre a qualidade da sociedade empresária de pequeno porte. Antes de aceitar uma oferta, leia com atenção as informações essenciais da oferta, em especial a seção de alertas sobre riscos.

INSTRUÇÃO CVM Nº 588, DE 13 DE JULHO DE 2017