Blog | Expertise

Mercado imobiliário

Especulação Imobiliária: o que é e como funciona?

Escrito por

Aline Oliveira


Jornalista e Comunicóloga formada pelo UniBH com especialização em Marketing de Conteúdo e Marketing Digital. Escreve sobre Economia, Finanças, Investimentos, Empreendedorismo, Carreira e Direito Tributário. Redige também artigos de temas variados, sendo autodidata em assuntos sobre comportamento humano. Experiência em assessorias de imprensa e em agências de comunicação.


Um verbo que é muito utilizado e praticado no mercado de investimentos é “especular”. A palavra representa muito bem a ação que todo investidor — ou interessado no mercado — deve fazer antes de tomar uma decisão: estudar, considerar e analisar. E no segmento imobiliário, a definição mais certeira talvez seja “apostar”. Entenda agora o que é especulação imobiliária e como ela funciona.

O que é especulação imobiliária?

A especulação imobiliária é o ato de investir em bens imóveis como edifícios, centros comerciais, terrenos e shoppings centers. É comprar e manter um imóvel, ou parte dele, com o objetivo de obter lucro com a venda no futuro. Esse ganho, muitas vezes, pode representar um lucro acima da média dos demais tipos de investimentos.

Então, quando dizemos que o termo “apostar” se encaixa perfeitamente dentro da definição de especulação imobiliária, é porque essa é uma aposta feita pelo investidor de que determinado imóvel será valorizado no futuro e ele obterá muitos ganhos com isso.

Não é um lucro imediato, como acontece no caso do retorno decorrente de investimentos que proprietários fazem no imóvel ou quando eles recebem o pagamento de aluguel mensal pelo inquilino, por exemplo. A vantagem é obtida por meio da valorização futura.

E como todo investimento financeiro é feito por meio de estudos, análises de riscos, indicadores de qualidade, apostas e, principalmente, adquirindo uma visão de longo alcance, ao longo deste artigo vamos citar alguns fatores que podem contribuir para a valorização de um imóvel. Continue conosco!

Como funciona a especulação?

Vamos entender primeiro como, de fato, é realizada a especulação imobiliária. O capital é aplicado com base no desejo de que a área, terreno ou empreendimento seja valorizado no futuro, para o investidor vender este imóvel lucrando bem acima do valor investido.

As empresas especializadas contam com sistemas sofisticados para que o cliente confira, em tempo real, quais ofertas estão disponíveis para investimento.

Por isso, no caso de loteamentos, por exemplo, investidores optam por escolher regiões que, muitas vezes, está praticamente inabitada, realizando projeções de como esse local pode crescer e se desenvolver, resultado na elevação do preço do imóvel.

Vale ressaltar a diferença entre especulador e incorporador. O primeiro, nada constrói, apenas adquire parte ou a totalidade do imóvel e aguarda. Assim, com o tempo, ele verá quais resultados pôde obter com o investimento imobiliário feito. Já o incorporador é o responsável pela construção em si. Ou seja, as atividades estão relacionadas, mas são totalmente diferentes uma da outra.

Crescimento demográfico da região

Entre os fatores que impactam no preço de um terreno ou imóvel, o crescimento demográfico é um dos mais significantes. Quanto maior a população do local, maior tende a ser a relação entre oferta e procura.

Além disso, uma região cuja população está crescendo demanda mais investimento em infraestrutura, tanto pelo poder público, quanto pelos investidores que apostam na localidade e das empresas que migram ou abrem novas sedes no entorno.

Todo esse impacto no crescimento leva a região a ter mais visibilidade como um todo, ocasionando também na alta procura por moradores de outras regiões. Daí um aspecto para a valorização da área.

Melhoria na infraestrutura local

Muito ligado ao fator citado anteriormente, aqui está um aspecto que tem muito a ver com o crescimento demográfico. Falamos do aumento da população, mas, mesmo quando uma região é populosa e há pouca infraestrutura de qualidade, a região deixa de atrair moradores e investidores.

Quando acontece o contrário e há investimentos do poder público na região, promovendo, por exemplo, melhorias no saneamento básico, no transporte público, no comércio, nos locais de lazer e na segurança local, a área se torna bem mais atrativa.

Valorização de terrenos

Outro ponto a beneficiar o especulador é a escassez de imóveis na região valorizada. Vamos citar um exemplo: imagine que a cidade cresceu, a população conta com uma infraestrutura cada vez melhor e há alta procura por imóveis naquele local. Em muitos casos, quando a demanda é alta, há a escassez de oferta e é aí que o investidor obtém seus lucros.

Com a maioria dos terrenos já ocupados, o preço do imóvel tende a aumentar, sendo supervalorizados. Além, é claro, de o investidor poder se beneficiar de toda a expansão e o desenvolvimento que estão sendo realizados naquela região.

Como a tecnologia contribui com o mercado imobiliário?

Para fecharmos a compreensão do que é especulação imobiliária, nada mais natural do que falarmos em uma aliada muito poderosa de qualquer tipo de investimento — em especial o imobiliário —, que é a tecnologia. Dar passos no mundo dos investimentos requer conhecimento e, principalmente, orientação e acompanhamento de especialistas.

Esse apoio especializado só é permitido graças ao avanço da tecnologia, área em que empresas especializadas investem muito para proporcionar aos clientes segurança, facilidade, agilidade em suas transações e o relacionamento direto com consultores.

Além disso, a evolução técnica de sistemas e plataformas digitais permite acompanhar, em tempo real, quais as alternativas de investimento estão disponíveis, quais são as mais rentáveis, o andamento do investimento e qual a lucratividade em cada caso. Tudo muito bem segmentado e personalizado.

Que tal aproveitar que você está finalizando este artigo e conhecer um pouco mais sobre o mercado imobiliário e as tendências do segmento? Confira!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



As sociedades empresárias de pequeno porte e as ofertas apresentadas nessa plataforma estão automaticamente dispensadas de registro pela Comissão de Valores Mobiliários - CVM. A CVM não analisa previamente as ofertas. As ofertas realizadas não implicam por parte da CVM a garantia da veracidade das informações prestadas, de adequação à legislação vigente ou julgamento sobre a qualidade da sociedade empresária de pequeno porte. Antes de aceitar uma oferta, leia com atenção as informações essenciais da oferta, em especial a seção de alertas sobre riscos.

INSTRUÇÃO CVM Nº 588, DE 13 DE JULHO DE 2017